Total de visualizações de página

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Imperatriz pede anulação do jogo com o Cordino no TJD

Diretoria alega que o sorteio da arbitragem não foi realizada como determina o Estatuto do Torcedor

Sorteio realizado para os jogos da 2ª rodada do estadual com presença de mais pessoas. (Foto: Divulgação)
Diretoria do Imperatriz deu entrada, na tarde de quarta-feira (5), em uma PETIÇÃO junto Tribunal de Justiça Desportiva do Maranhão (TJD-MA) solicitando a anulação do sorteio do trio de arbitragem do jogo de sábado (1) entre Imperatriz e Cordino.
O motivo do pedido, de acordo com a petição, é que não foi cumprido o que determina o Estatuto do Torcedor em seu Artigo 32, parágrafos 1° e 2°, que determina que o sorteio dentre os árbitros selecionados seja realizado em audiência pública, transmitida ao vivo pela rede nacional de computadores, sob pena de NULIDADE. (Redação dada pela Lei 13.155 de 2015). Além disso, o sorteio deve ser aberto ao público com ampla divulgação, que segundo fontes de dentro da FMF, não aconteceu.
No caso concreto as exigências não foram atendidas a norma supracitada e nem se tem notícia do sorteio realizado na forma legal estabelecida, nem do local previamente definido. Razão pela qual o jogo é nulo em pleno direito.
Outro detalhe é que, coincidentemente, os sorteios começaram a ser divulgados no Site da FMF, além de fotos com uma quantidade maior de pessoas (Foto), o que não ocorreu no segundo jogo da final. Existem fortes rumores que a não realização do sorteio como determina o Estatuto do Torcedor foi para beneficiar o árbitro que apitou o jogo entre Imperatriz e Cordino já que o mesmo é filho do diretor da CEAF. O TJD e FMF, ainda, não se manifestaram sobre o assunto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário